columnist

Editorial da Semana

Editorial da Semana - Diocese de Jales

Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022 às 08:56

O ENCONTRO EFETIVO E AFETIVO QUE GERA CONVERSÃO

Pe. Juliano Fortunato - Paróquia Santo Expedito- Jales/SP

thumbnail

No dia 25 de janeiro celebramos a conversão de São Paulo, o apóstolo dos gentios. A Sagrada Escritura salvaguarda no livro dos Atos dos Apóstolos que “Saulo seguia a caminho da cidade e, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu”, a irradiação desta força e luz fez com que Saulo caísse com a face no chão enquanto uma voz do alto ecoava dizendo: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” (c.f Atos 9,4)

O escritor sagrado continua nos enriquecendo com a beleza deste encontro, ressaltando que Saulo busca saber quem está falando com ele: “E ele disse: Quem és Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti resistir contra a Palavra de Deus. E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que faça?” (c.f Atos 9,5-9)

A grandeza de ânimo do amor de Deus possibilitou o encontro entre o Seu Filho Jesus e o pecador Saulo. É evidente que este ato divino continua a ser realizado também nos nossos dias, pois sabemos que Deus insiste e acredita na conversão do ser humano. Assim aprendemos que: Saulo perseguia os seguidores de Jesus, mesmo assim Deus o amou de tal forma que possibilitou um encontro abrindo seus olhos e sua capacidade para compreender a sua vontade.

Saulo, fora formado na escola de Gamaliel e possuía um arcabouço cultural e intelectual admirável, tendo acesso à cultura helenística. O Senhor Deus, converte todo esse saber para transmitir aos pagãos a graça da Salvação através de suas pregações e cartas.

O convertido Paulo, precisou enfrentar a saga dos Apóstolos que não acreditavam na sua conversão e muito menos nas suas palavras, foi combatido e repreendido várias vezes, mesmo assim sabendo da sua missão continuou o seu caminho a favor de Deus.

Somos desafiados e impelidos todos os dias a buscarmos a conversão: “cair com a cara no chão”, ouvir a voz do Pai que fala conosco e entender realmente o que deve ser feito por amor ao seu Nome.

Percebemos que a conversão é uma vivência afetiva, efetiva e pessoal onde somos encontrados; nós nos encontramos e o Outro nos encontra, ou melhor, o amor encontra-se com o amado, o Criador encontra-se com sua criatura, o perdão com o pecador fazendo acontecer o humano e o divino encontrarem-se. Encontro este livre de vícios de vontade, de acusações, medos, discriminações, apenas apontando para uma vida nova, para a vivência da liberdade em Deus.

2022 será a continuidade do sonho de esperançar, como o Senhor Deus converteu e fez Saulo ser Paulo, oxalá nós também possamos fazer um novo caminho de mudança de hábitos, assumindo bons costumes para transformarmos nossa humanidade.

Ouça a entrevista

imagem

COMO MANTER A ESPERANÇA DE DIAS MELHORES?

thumbnail

Vitor Inácio Fernandes da Silva | Assessor de Comunicação da Diocese de Jales e Jornalista das Rádios Assunção e Regional FM

MARIA: A SENHORA DA HUMILDADE

thumbnail

Nilze Maria Fernandes de Morais | Leiga, Liderança da Paróquia São Pedro de Fernandópolis