columnist

Editorial da Semana

Editorial da Semana - Diocese de Jales

Sábado, 22 de Fevereiro de 2020 às 11:12

“VIU, SENTIU COMPAIXÃO E CUIDOU DELE”, LC 10, 33-34

Washington Henrique da Conceição, Seminarista da Diocese de Jales e médico.

thumbnail

Mal deixamos de ouvir “adeus ano velho, feliz ano novo” e já podemos ouvir em nossas ruas Chiquinha Gonzaga dizendo “ô abre alas, que eu quero passar!”. Cazuza diria que o tempo não para e nesta dinâmica de movimento o tempo de conversão já aponta no horizonte. Logo, logo será quaresma, caminho de penitência que nos conduzirá à alegria da Páscoa do Senhor.

Nesta jornada quaresmal a Igreja propõe-nos o forte chamado que o profeta Joel dirige ao povo de Israel: “Agora, diz o Senhor, voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos” (2,12). Convida toda Igreja para o jejum, a oração e a penitência. O chamado é coletivo, aliás a dimensão comunitária é um elemento fundamental na vida cristã, Cristo veio para reunir os filhos de Deus dispersos.

Dentro desta dimensão da conversão e do comunitário, a Igreja do Brasil propõe aos seus fiéis um modo privilegiado de vivência da fé neste período quaresmal, a Campanha da Fraternidade. Instrumento pastoral que há cinco décadas convida os cristãos a alargarem os olhares e a perceberem que o pecado ameaça a vida como um todo. Neste ano o tema proposto é “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”Lc 10, 33-34.

Para reflexão, oração e ação, é proposto o texto do Bom Samaritano, Lc 10, 25-37, no qual um samaritano aproximando-se, vê um homem caído a beira da estrada e tendo compaixão, inclina-se e cuida. Ele não pergunta quem era o caído, mas vendo-o, rompe com a indiferença e cuida. Abandona a indiferença que nos afasta e nos leva à incapacidade de estabelecer relações genuinamente humanas e simplesmente cuida.

A ação do samarita no em um país tão polarizado como o nosso é um convite a romper as mesquinharias políticas ou ideológicas e entender que atualmente existem milhões de desempregados, famintos e abandonados, caídos à beira do caminho que precisam não apenas de nossos textos nas redes sociais, mas principalmente do nosso cuidado. É preciso olhar para os erros do passado e aprendendo com eles entender que todos somos convidados para a obra de expansão do Reino de Deus. Todos devemos nos inclinar e cuidar.

As cinzas em nossas cabeças mostrarão a urgência de mudança, “lembra-te que és pó, e ao pó retornarás”. Portanto, deixemos de ser telespectadores para sermos atores da construção de uma sociedade samaritana, afinal de contas, a fome, doença e abandono não nos deixam esperar. 

Ouça a entrevista

imagem

Caixa lançará na terça aplicativo para cadastro em renda emergencial

thumbnail

Calendário de pagamento será divulgado na próxima semana

Urânia tem 326 casos de dengue confirmados em 2020

thumbnail

Chama atenção o fato de todos os casos terem ocorrido dentro dos limites municipais, ou seja, em nenhuma ocorrência o vírus foi contraído fora da cidade e notificado em Urânia