Quarta-Feira, 08 de Janeiro de 2020 às 17:09

Morre Sinval da Viola reconhecido pela confecção de violas, violões e violinos

Sinval da Viola foi responsável pela produção de instrumentos que foram utilizados por cantores como Belchior, músico latino americano e pela dupla Pena Branca e Xavantino

thumbnail

Morreu em São José do Rio Preto, nesta quarta-feira, 08 de janeiro, Sinval José Ribeiro, o Sinval da Viola, com 72 anos, conhecido em Jales e na região por manter a tradição na produção artesanal de instrumentos musicais.

O Sinval da Viola era o único no noroeste paulista e com destaque em todo estado por seu trabalho na confecção de violas, violões e violinos, além de ser um dos responsáveis pela manutenção da cultura do interior. O violeiro contava com instrumentos feitos por ele em posse de cantores como Belchior, cantor latino americano, e pela dupla Pena Branca e Xavantino.

O sepultamento foi realizado nesta quarta-feira, 08 de janeiro, às 17h, no Cemitério Municipal de Jales.

ENSINAR

Consciente da importância da preservação da cultura, Sinval promoveu um curso no ano de 2017 para passar seu conhecimento para outras pessoas, principalmente para crianças e jovens de 8 a 15 anos interessados em aprender essa arte.

Na época em conversa com a reportagem do Jornal do Povo da Rádio Assunção, Sinval da Viola, contou que o trabalho chamado de lutiê, produção de instrumentos, é um campo com boa área de comercialização, contando com poucos profissionais disponíveis, muitas pessoas procuram tais instrumentos pela qualidade apresentada e durabilidade, podendo ser passados de pai para filho.

Mais informações de Jales e Região você confere em www.radioassuncao.com.br

imagem

Campanha Jales Sem Fome vai arrecadar cestas para famílias carentes

thumbnail

A ação visa contribuir para combater as dificuldades das famílias carentes em Jales. Parceiros estão arrecadando cestas que serão direcionadas de acordo com as necessidades.

Papa Francisco: Abraçar o Senhor para abraçar a esperança

thumbnail

Com o cenário inédito da Praça São Pedro vazia com o Papa Francisco diante da Basílica Vaticana, o Pontífice afirmou que é "diante do sofrimento que se mede o verdadeiro desenvolvimento dos povos”.