Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018 às 09:38

Meridiano - Mais de 50 funcionários públicos devem perder cargos após cancelamento de concurso

Segundo processo, licitação para contratação de empresa realizadora do concurso não foi feita. Proprietário da empresa organizadora do concurso não quis comentar o caso.

thumbnail

Mais de cinquenta funcionários públicos da prefeitura de Meridiano devem perder os cargos a partir do dia 19 de abril. Eles prestaram um concurso há oito anos, que foi considerado ilegal e será cancelado.

A ação foi proposta em 2010 pelo Ministério Público. Segundo o processo, o ex-prefeito de Meridiano, José Torrente (PTB), não fez a licitação para contratar a empresa que realizaria o concurso. O procedimento também foi feito antes de serem criados os cargos a serem preenchidos.

Atualmente, 273 pessoas trabalham para a prefeitura e, com a decisão, mais de 20% dos funcionários deixarão os cargos.

A prefeitura estuda como não prejudicar a prestação de serviços à população com as demissões. "Vamos ter que fazer sim uma contratação emergicial e posterior a isso, com certeza, um concurso público", afirma o prefeito Orivaldo Rizzato (PSDB).

Já o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais diz que a entidade pretende entrar na Justiça com pedido para que o prazo de execução da decisão seja aumentado.

"Vamos a princípio tentar, junto à administração, para que algum tipo de solicitação seja encaminhada ao judiciário para que as famílias se organizem. Um prazo de 10 dias é inviável e muitos não têm outra fonte de recurso", afirma José Luiz Francisco.

Fonte: G1

Mais informações de Jales e Região você confere em www.radioassuncao.com.br

imagem

Populina - Secretária de saúde morre aos 30 anos

thumbnail

Vítima de uma doença autoimune a secretária de saúde da cidade de Populina morreu aos 30 anos.

Turmalina - Nova eleição deve ocorrer no dia 03 de junho após determinação do TRE-SP

thumbnail

Os eleitores de Turmalina vão voltar às urnas no mês de junho na expectativa de eleger o novo chefe do poder executivo do pacato município