Sexta-Feira, 07 de Junho de 2024 às 08:38

Dom Reginaldo participa de formação para bispos da Comissão Sociotransformadora Da CNBB

A Ecologia integral como um caminho de vida e de cura para um planeta doente foi o tema do primeiro dia de encontro formativo para os bispos referenciais das Pastorais Sociais e da Ação Sociotransformadora dos Regionais da CNBB

thumbnail

A Ecologia integral como um caminho de vida e de cura para um planeta doente foi o tema do primeiro dia de encontro formativo para os bispos referenciais das Pastorais Sociais e da Ação Sociotransformadora dos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O encontro ocorre em Brasília–DF, nos dias 5 e 6 de junho de 2024, e é promovido pela Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora da CNBB. Participam bispos e assessores nacionais.

O Bispo da Diocese de Livramento de Nossa Senhora, Bahia, e presidente da Comissão para a Ecologia Integral e Mineração da CNBB, Dom Vicente de Paula Ferreira, trouxe sua contribuição ao primeiro dia de assessoria, ao destacar os conteúdos da encíclica “Laudato Si’” e da exortação apostólica “Laudate Deum”, do Papa Francisco.

Estiveram presentes no início da formação o núncio apostólico no Brasil, Dom Giambattista Diquattro e o secretário-geral da CNBB, Dom Ricardo Hoepers.

Dom Giambattista ressaltou a realidade dos eventos climáticos extremos no Rio Grande do Sul e a solidariedade da Igreja em ajudar as pessoas atingidas pela catástrofe das inundações que têm se tornado frequentes no cenário de mudanças climáticas.

O secretário-geral da CNBB, Dom Ricardo, agradeceu a presença dos bispos no encontro e destacou o trabalho realizado pela Comissão Sociotransformadora em pautas imprescindíveis como a da ecologia integral. “É urgente que nos mobilizemos para o tema da Campanha da Fraternidade do próximo ano, para que se torne um tema de todos, em todo o Brasil”, enfatizou. No próximo ano, será refletido o tema “Fraternidade e Ecologia Integral”, com o lema “Deus viu que tudo era muito bom” (Gn 1, 31).

Em seguida, Dom Vicente Ferreira começou a formação refletindo sobre a situação atual, destacando o crescente paradigma tecnocrata que busca o lucro máximo com o menor custo. Trata-se de um modelo disfarçado de racionalidade, progresso e promessas ilusórias. Ele fez referência ao Papa Francisco na encíclica Laudato Si’, n.º 31, enfatizando que “os próprios pobres, confusos e iludidos pelas promessas de tantos falsos profetas, caem na armadilha de um mundo que não foi feito para eles”.

O bispo lembrou que o planeta Terra é um organismo vivo, no qual tudo sobrevive em interdependência. “Por isso, para os problemas globais, as soluções têm de ser globais”, sugeriu. Convidou a “contemplar as feridas da terra e da gente como senhas pascais”. E reforçou o convite à conversão ecológica, eclesial e social. Essas, provocações do Papa Francisco.

“Contemplar as feridas da terra e da gente como senhas pascais”

Lembrou que a Ecologia Integral é paradigma que unifica e inspira a ação Sociotransformadora. Convidou a uma posição política diante das diversas situações de desrespeito aos direitos dos povos e da natureza, considerando a profecia da Igreja e a importância da participação cidadã em vista das eleições municipais. A partir de uma “espiritualidade ecológica: de simplicidade e poesia; nova aliança entre o ser humano e a terra; é preciso considerar a criação como sacramento do amor de Deus, primeiro livro no qual ele escreve seus misteriosos afetos por nós”.

Por fim, convidou os bispos a trabalho em grupos, para refletirem a partir da exigência de uma urgente conversão ecológica, sobretudo tendo em vistas agendas como a Campanha da Fraternidade 2025 e a 30ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP30). Os participantes trouxeram sugestões para trabalhar a Ecologia Integral como eixo transversal no ministério episcopal, na evangelização com o povo e nas incidências políticas nacionais e internacionais.

Com informações de Osnilda Lima | Comunicação Cepast-CNBB

imagem

Alunos da E.M. Prof. Alberto Gandur participaram de palestra sobre bullying e cyberbullying

thumbnail

O evento, que faz parte do projeto escolar "Bullying não é brincadeira", teve como objetivo conscientizar as crianças sobre os impactos negativos dessas práticas tanto para as vítimas quanto para os agressores.

Jales inicia Junho Violeta com ações de conscientização e combate à violência contra idosos

thumbnail

Em 2011, a ONU estabeleceu o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa em 15 de junho.