Quarta-Feira, 13 de Fevereiro de 2019 às 08:23

Câmara aprova parecer do TCE e rejeita contas de Ana Bim

“A defesa da ex-prefeita bem que tentou, mas não conseguiu convencer a maioria dos vereadores de que as contas do exercício de 2015 não causaram prejuízos”.

thumbnail

A defesa da ex-prefeita Ana Bim (PSD) bem que tentou, mas não conseguiu convencer a maioria dos vereadores de que as contas do exercício de 2015 não causaram prejuízos ao município e nem caracterizou ato de improbidade administrativa.

Durante a semana houve diversas tentativas de conseguir apoio de vereadores para votarem contra o parecer do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo que apontou diversas irregularidades na administração da ex-prefeita.

O projeto de Decreto Legislativo foi apreciado na noite desta terça-feira, dia 12, depois de sofrer pedido de adiamento formulado pela ex-prefeita na sessão da semana passada.

O advogado Marlon Santana teve mais de 20 minutos para apresentar defesa, usando a Tribuna Livre, para tentar convencer a maioria absoluta dos vereadores que o julgamento é meramente político e pediu a anulação da votação.

Alegou que a ex-prefeita não teria nenhuma pretensão politica e disse que ela cumpriu com as obrigações política com a população de Fernandópolis, sendo a primeira mulher eleita a vereadora e também a primeira prefeita a assumir o cargo depois da morte do ex-prefeito Rui Okuma. Destacou que ela foi a primeira prefeita eleita pelo voto direto na história de Fernandópolis.

Santana apresentou números que contestaram dados do parecer do Tribunal além de alegar que houve investimentos na área da Saúde e Educação, mas do que exigido por lei.

O procurador Jurídico da Câmara Municipal, Thales Zaine, disse que o pedido de anulação da defesa não tem fundamento. Não tem previsão legal de se defender o projeto nas comissões, como pediu Marlon Santana, alegando que o processo volte ao início e de direito de defesa nas comissões permanentes.

“Foi completo e totalmente amplo o direito de defesa, de forma correta e conforme o regimento interno da Câmara nos tramite de notificação em diversas tentativas. Reconheço que não há nenhuma irregularidade e está apta a votação”, concluiu

Ademir colocou em votação o pedido de anulação da votação o que causou dúvidas chegando no resultado de que o processo seguiria para analise e votação final.

Ana Bim precisava de dois terços do número de vereadores, ou seja nove votos contra o relatório e obteve apenas sete.

imagem

Jales - AGRITEC 2019 será realizado em abril reunindo empresas, produtores e alunos

thumbnail

Os envolvidos poderão participar de exposições de tecnologias e demonstrações de equipamentos por parte das empresas parceiras.

Eleitores que deixaram de votar nas três últimas eleições devem comparecer ao Cartório Eleitoral

thumbnail

Relação com nomes de eleitores que podem ter títulos cancelados está disponível na sede do Cartório Eleitoral para conhecimento dos interessados