columnist

Editorial da Semana

Editorial da Semana - Diocese de Jales

Sexta-Feira, 29 de Novembro de 2019 às 09:04

ONDE ENCONTRAMOS DEUS?

Igor Sant’Ana, locutor da Rádio Assunção, Diocese de Jales

thumbnail

Essa pergunta está no coração de muitas pessoas. Estaria ele entre nós e na vida de nossos próprios irmãos? Ao encontrarmos os irmãos, encontramos a Deus. Mas, “onde está teu irmão?”.Essa foi a pergunta que o próprio Deus fez, após Caim, por motivo de ciúme e inveja, ter tirado a vida de seu irmão Abel (cf. Gn 4, 9).

Como a Palavra de Deus é viva e atual, essa mesma pergunta, hoje, ressoa em nossos corações: “Onde está teu irmão?”. Talvez esteja naquele que vemos, mas não enxergamos; no rosto sofrido do pai de família que trabalhou sol a sol durante toda uma vida, e, agora, vê seus direitos ceifados por quem deveria lutar para que eles fossem mantidos.

Onde está teu irmão? A resposta de Caim a essa pergunta,é direta: “Acaso sou eu o guarda de meu irmão?”Infelizmente, assim como Caim, muitos de nós ainda não percebemos que somos,sim, responsáveis por guardar os direitos dos nossos irmãos, muitos deles adquiridos a duras penas, hoje ameaçados e até mesmo eliminadospor quem os deveria proteger.

Lutar pelo direito de todos os cidadãos é um gesto de amor a Deus e ao próximo. Isso já nos recordava o Papa emérito Bento XVI, em sua primeira Encíclica, assinada no dia de Natal de 2005, “Deus caritas est” (Deus é amor).A caridade é a forma mais preciosa de Deus se manifestar na sociedade. E nós ajudamos o próximo porque acreditamos que esse é um mandamento que Deus nos dá, pois, a vida requer cuidados e aquele que cuida do pobre está cuidando do próprio Cristo.

Nesse contexto, ser cristão é caminhar em direção daqueles que são os Cristos de hoje, como cita o Evangelho de Mateus: “pois, eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede e me destes de beber; eu era forasteiro e me recebestes em casa; estava nu, e me vestistes; doente, e cuidastes de mim; na prisão, e viestes até mim... Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mínimos que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!”(Mt 25,35-40).

O Advento é um tempo especial, que antecede o natal e exige de nós um verdadeiro amadurecimento na fé. Que esse tempo, tão importante para nossa espiritualidade, nos possibiliterealizar uma completa faxina interior, a fim de nos prepararmos para receber Aqueleque chega,sendo solícitos nas necessidades dos nossos irmãos, da Igreja e da sociedade!

Como cristãos, temos a obrigação de realizar gestos concretos de solidariedade, não somente nessa época do ano, mas sempre, quando encontramos um irmão necessitado,visto queo Cristo se revela na pessoa do pobre, pois Ele veio ao encontro dos pobres, nasceu pobre e viveu pobre, pelos pobres.

Só assim poderemos descobrir onde está nosso irmão: amando os que precisam ser amados, cuidando dos que precisam ser cuidados. Somente com novas atitudes,aprendemos a lidar com as mazelas de nossa convivência, as quais, também, hospedamos em nós.Olhando, então, ao nosso redor, podemos entender que as coisas dessa vida não podem ser levadas, mas, sim, compartilhadas.

O Advento nutre, então, nossa grande expectativa de encontrarmos no amor ao próximo o verdadeiro sentido da palavra irmão e, finalmente, encontrarmos o próprio Deus.

Ouça a entrevista

imagem

O REINO DE DEUS E A VIGILÂNCIA FACE AO IMPREVISÍVEL DA PARUSIA

thumbnail

Pe. Valdair Ap. Rodrigues - Adm. Paroquial - Catedral de Jales - Paróquia Nossa Sra. da Assunção

NOVOS PASSOS APÓS O SÍNODO

thumbnail

Pe. Edvagner Tomaz da Cruz