columnist

Editorial da Semana

Editorial da Semana - Diocese de Jales

Segunda-Feira, 16 de Dezembro de 2019 às 17:29

NENHUM DIREITO A MENOS

Por Pe. José Antonio Soares- Diocese de Jales.

thumbnail

É o que precisamos celebrar e reconquistar

No dia 10 de dezembro celebramos o “Dia Internacional dos Direitos Humanos”. Os Direitos Humanos transmitem uma ideia muito simples, mas também muito valiosa e poderosa: “que TODOS os seres humanos têm os mesmos direitos e liberdades fundamentais”.

Os países membros da ONU adotaram em 1948 a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que lista todos os direitos básicos que qualquer pessoa precisa ter assegurado para ter uma vida digna. São, pelo menos, 30 artigos defendendo, por exemplo: a integridade física, a liberdade, a segurança, a educação, o trabalho livre, um nível de vida suficiente pra poder morar e se alimentar. A finalidade do documento foi promover a organização de princípios sobre a paz e a democracia, bem como o fortalecimento dos Direitos Humanos.Esta declaração foi assinada por 58 estados e alcança todos os povos!

Jesus diz: “O que fizerdes a um dos meus irmãos pequeninos é a mim que o fazeis”, e “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”. Palavras que nos chamam a procurar e a amar Jesus, sobretudo, nos pequenos. Palavras que nos chamam a conversão do coração para atitudes mais humanas e isso significa mais paciência, justiça, prudência, diálogo, integridade, dignidade, solidariedade e igualdade.

No Brasil, por exemplo, a desigualdade,infelizmente, é uma imensa realidade. Somos o 8º país mais desigual do mundo, o 3º em concentração de renda e com um salário “mínimo”, estabelecido em 1 de janeiro de 2019, de R$ 998,00 com gastos diários de R$ 33.26. No entanto,quando alguém ou, até mesmo, a Igreja começa a defender os Direitos Humanos, geralmente, outras pessoas surgem com acusações de “esquerdista”, “comunista”, e não é bem por aí. Polarização não é solução. É melhor construir pontes e apostar no diálogo, pois um país polarizado é um país que não dialoga e todos sofrem com isso.

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. Quer dizer, isso vale pra qualquer pessoa em qualquer canto do mundo. A violação de qualquer um desses direitos corroem os princípios que protegem a todos seja de “esquerda” ou “direita”. Quando a gente entende do que se trata notamos que defender os Direitos Humanos é um dever de todos e que a violação destes direitos enfraquece a democracia e quem sofre com isso é toda a sociedade.

Então, entre nós, como ser contra uma coisa que defende os NOSSOS direitos de viver em dignidade e felicidade? Neste sentido a Igreja apresenta a sua “Doutrina Social” que pode ajudar muito as pessoas a fazerem a revolução do amor, da justiça e igualdade se tornarem realidade em muitas partes deste torturado planeta. Afinal, o mundo não pode continuar como está.NENHUM DIREITO A MENOS é o que precisamos celebrar e reconquistar!

Ouça a entrevista

imagem

“VIU, SENTIU COMPAIXÃO E CUIDOU DELE”, LC 10, 33-34

thumbnail

Washington Henrique da Conceição, Seminarista da Diocese de Jales e médico.

80 ANOS: PANORAMA DOS GRANDES EVENTOS

thumbnail

Dom Demétrio Valentini - Bispo Emérito