columnist

Editorial da Semana

Editorial da Semana - Diocese de Jales

Quinta-Feira, 28 de Fevereiro de 2019 às 11:28

FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS

Equipe da Campanha da Fraternidade | Diocese de Jales

thumbnail

A 55 anos a Igreja Católica convida a sociedade refletir um tema relacionado com a realidade dos brasileiros através da Campanha da Fraternidade. Neste ano o tema é:“Fraternidade e Políticas Públicas”,e o lema:“Serás libertado pelo direito e pela justiça. (Is 1,27)”.

A política é essencialmente o cuidado para com o que é comum e realizar ações que ajudem na integração de todos na sociedade é um dos seus objetivos. O que leva a pensar na vocação de cada cidadão, especialmente daqueles que almejam ou que já estão em cargos públicos. Todos são chamados a ver o homem como fim último de nossas ações políticas, não como meio. Todos somos políticos, isso faz parte da essência de cada um, mesmo nas coisas mais simples da vida. Todos são chamados a praticar a cidadania.

As Políticas Públicas“são ações e programas desenvolvidos pelo Estado ou pelos governos para garantir e colocar em prática direitos que são previstos na Constituição Federal e em outras leis”, assim definido no texto base produzido pela CNBB (Conferência dos Bispos do Brasil). Refletir e discutir políticas públicas está intimamente relacionado com a vida cotidiana. Quando se vai ao posto de saúde encontramos toda uma estrutura, organizada da melhor forma possível, para ser atendido por um médico. Toda esta estrutura já foi pensada e colocada em prática para garantir o direto constitucional por uma saúde de qualidade. Isto é uma política pública. Estas ações, devem expressar o interesse pelo bem comum, pela inserção social, pela oportunidade de direitos e deveres de toda pessoa. Já se perguntou o porquê o posto de saúde não atende suas necessidades?

As Políticas Públicas precisam alcançar especialmente às necessidades das pessoas que são empurradas para as margens da sociedade e que são muitas vezes excluídas. Por isso elas visam diretamente a dignidade da pessoa humana. Todo homem e mulher tem dignidade de vida em si mesmos desde a sua concepção até o seu fim último independente das escolhas que faz no decorrer de sua vida. Toda vida tem direitos e deveres que devem ser guardados por todos.

O que mais nos interpela nesta Campanha da Fraternidade é a participação de todos, através do exercício cidadão em vista de um bem comum. Como é esta participação?

Ela acontece diretamente através de conselhos paritários de direitos, audiências públicas, fóruns, associações, partidos políticos, conferências e muitos outros meios nos âmbitos municipal, estadual e nacional. Você conhece ou sabe quais são os conselhos ativos em sua cidade? Quem são as pessoas que atuam neles? Como é esta atuação e a sua importância?

Uma coisa é bom falar, todo aquele que não se importa com a política acaba sendo governado por aqueles que se importam. Participar é se importar pela própria vida e atingir a vida do outro. Pois estando o posto de saúde funcionando bem para o outro,consequentemente irá funcionar bem para mim. Participe, mobilize, conheça e transforme a realidade onde mora.



Ouça a entrevista

imagem

Gente simples fazendo mudanças extraordinárias

thumbnail

Pe Antônio de Jesus Sardinha- Vigário Geral da Diocese de Jales

Quem faz a nossa cabeça?

thumbnail

Prof. Dr. Pe. Telmo José Amaral de Figueiredo | Diocese de Jales – SP