columnist

Palavra do Bispo

Dom Reginaldo Andrietta

Sexta-Feira, 15 de Julho de 2022 às 08:19

CONSTRUIR UMA COEXISTÊNCIA SAUDÁVEL

Dom Reginaldo Andrietta, Bispo Diocesano de Jales

thumbnail

“Cristo nos educa a caminhar juntos”. Esse lema da 38ª Romaria Diocesana de Jales, que ocorrerá no próximo dia 21 de agosto, festejando 62 anos de Diocese e sua padroeira, Nossa Senhora da Assunção, condiz com o tema educação, da Campanha da Fraternidade deste ano, e com o processo sinodal em curso, estimulador da comunhão, participação e missão eclesial.

Educador por excelência, Cristo ensina seus discípulos a serem fraternos e testemunharem ao mundo dilacerado por conflitos, o amor de Deus. Sem o amor divino, os seres humanos continuarão se aniquilando e destruindo seu habitat comum. A “catástrofe global” alertada pelo Secretário Geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, em 2020, tende a ser real.

Armas sofisticadas de destruição em massa, mudanças climáticas, miséria em larga escala e o fenômeno crescente de vírus com potenciais pandêmicos são apenas alguns exemplos de uma realidade global alarmante, que tem severamente impactado o Brasil. Este país está atrelado a uma lógica mundial, sobretudo econômica, doentia e nociva à nossa convivência social.

Diante dessa realidade, o Papa Francisco afirma na Exortação Apostólica Alegria do Evangelho, que devemos “descobrir e transmitir a mística de viver juntos, misturar-nos, encontrar-nos, dar o braço, apoiar-nos, participar nesta maré um pouco caótica que pode transformar-se numa verdadeira experiência de fraternidade, numa caravana solidária, numa peregrinação sagrada”.

A visão do Papa sobre “peregrinação sagrada” transparece em suas amáveis palavras dirigidas ao povo Iraquiano, por ocasião de sua visita a esse país, em março de 2021: “venho até vocês como peregrino de paz, para repetir: "Sois todos irmãos" (Mt 23,8). Sim, venho como peregrino da paz em busca de fraternidade, animado pelo desejo de rezar juntos e caminhar juntos”.

Essas palavras do Papa traduzem bem o sentido que a Diocese de Jales dá à sua Romaria. Na sua origem, romaria era peregrinação a Roma, centro do catolicismo, passando com o tempo a significar peregrinação a qualquer lugar santo, como é, simbolicamente, a Catedral da Diocese de Jales, que no dia de sua padroeira, acolhe milhares de romeiros de seus 45 municípios.

Muitos caminham juntos, como o grupo “Peregrinos da Fé”, que sai de Santa Clara d’Oeste, e o grupo “Caminhada da Fé”, que sai de Rubinéia, a 50 km de Jales, dias antes. Juntos, percorrem caminhos rurais e cidades,rezando, fazendo paradas para reflexão e, finalmente, juntando-se a milhares de pessoas que se congregam na Igreja Santo Expedito, de Jales.

Desde ali, após calorosa acolhida, uma multidão se dirige em procissão à Catedral, onde, festivamente, se celebra a eucaristia em honra de Nossa Senhora da Assunção. Ao longo dessa caminhada, cada romeiro, com espírito penitente, apresenta a Deus sua gratidão e seus clamores, refaz promessas e renova seu compromisso de viver a fé com autenticidade.

Desse modo, em Romaria, caminhando juntos, os católicos da Diocese de Jales entrelaçam ainda mais seus corações, fortalecem seus vínculos de unidade, testemunham fraternidade, vivenciam a identidade de Povo de Deus e se fortalecem na missão comum que Cristo confia a todos os que o seguem com fé (cf. Mt 28,19-20), de construir uma coexistência saudável. 

Ouça a entrevista

imagem

A VIDA SOB O SIGNO DOS QUARENTA

thumbnail

Dom Demétrio Valentini, Bispo Emérito de Jales

VOCAÇÃO E MISSÃO

thumbnail

Diácono Igor Kawakame Rathlef, Paróquia Santo Antônio e Nossa Senhora do Carmo